Workshops 2011

WORKSHOPS AVANCA 2011
1 - A DIRECÇÃO DE ACTORES EM CINEMA
Rever e debater o filme “A Outra Margem” e explorar o espaço da direcção de actores. Um workshop destinado a realizadores e actores, bem como aos futuros profissionais destas áreas do cinema.
Orientador: Luís Filipe Rocha (Portugal)

Cineasta, licenciado em direito, é autor de 10 longas-metragens, que marcaram o nosso cinema.
Depois duma passagem pelo teatro, foi assistente de realização do cineasta alemão Peter Lilienthal, no filme “Reina a Tranquilidade em Todo o País”.
“Barronhos, Quem teve Medo do Poder Popular?” (1977), foi a sua primeira longa-metragem, seguindo-se o surpreendente “A Fuga”, exibido no Festival da Figueira da Foz.
Em 1980 “Cerromaior” integra a Selecção Oficial do Festival de Cannes 1981 e é Grande Prémio da Figueira da Foz e Huelva (Espanha).
Em 1984 filma “Sinais de Vida” e em 1993 “Amor e Dedinhos de Pé”, em Macau, e exibe-o no Festival de Berlim. “Sinais de Fogo” (1995) estreia no Festival de Montreal (Canadá) e é premiado em França.
“Adeus Pai” (1996), é premiado em Moscovo, na Índia, Bélgica e França. “Camarate” (2000) é seleccionado para as nomeações ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. “A Passagem da Noite” é premiado na Grécia, Espanha e França. “A Outra Margem” (2007) recebe o Prémio de Melhor Actor em Montreal (Canadá), Prémio Especial do Júri e Prémio Melhor Actriz em Guadalajara, Prémio Melhor Actor e Actriz em Bilbao e Prémio do Público em Valladolid. Adaptou a argumento de televisão o romance de Álvaro Cunhal “Até Amanhã, Camaradas” e prepara agora um novo filme.
Adriano luz, Ana Bustorff, Carlos Paulo, Diogo Infante, Filipe Duarte, Filipe Ferrer, João Lagarto, Joaquim d’Almeida, José Viana, José Wallenstein, Laura Soveral, Leonor Seixas, Luís Miguel Cintra, Maria d’Aires, Maria do Céu Guerra, Maria Rueff, Rogério Samora, Rui Furtado, Ruth Gabriel, São José Lapa, Virgílio Castelo, mas também Ana Torrent e Jean Pierre Cassel, foram alguns dos actores que dirigiu.

Coordenador: José Miguel Moreira (Portugal)

Estudou cinema na ESAP e é Mestre em Comunicação Audiovisual pela ESMAE, sendo docente em ambas as escolas. Argumentista, as suas obras foram distinguidas em 2002 e 2003, nas “Jornadas de Cinema da Galiza” em Ourense (Espanha). Escreveu e realizou “Área Protegida” (Prémio Melhor Filme Português no Festival de Arouca 2007), “A Parideira” (Prémio Competição Nacional no Festival Porto 7, em 2011).

2 - ESCREVER UM ARGUMENTO E REALIZAR UM FILME DE “FERIDAS INVISÍVEIS”
Explorar o desafio de escrever e realizar um filme sobre “feridas invisíveis”. A procura do conflito cinematográfico num estado latente da memória e da presença quase silenciosa da guerra.
Orientador: Mohamadreza Vatandoust (Irão / Iran)

Nascido no norte do Irão, perto de Sari, em 1978, Vatandoust iniciou a sua actividade no teatro antes mesmo de vir estudar para a Tehran University of Art. Distinguido pela instituição em 2000 e 2005, ali terminou o seu mestrado de Investigação em Sociologia e Arte.
Duplamente distinguido no AVANCA 2010, “When the Lemons turned Yellow...” foi igualmente premiado no Montreal World Film Festival (Canadá) e nos festivais iranianos de Fajd e Rooshd. Foi igualmente seleccionado para a competição oficial de diversos festivais, nomeadamente São Paulo, Munique, Tiburon, Singapura, Shangai e Minneapolis.
Todos os seus filmes anteriores foram várias vezes premiados em diferentes festivais.
Preocupado pelas “feridas invisíveis”, os seus filmes mergulham neste espaço de pós conflito de guerra, onde se quebram promessas e sobretudo corações.

Coordenador: André Gil Mata (Portugal)

Realizador, estudou Som e Imagem na Universidade Católica e frequenta Mestrado na Escola de Teatro e Cinema, Amadora. Trabalhou em fotografia, teatro e na Curadoria do festival de Cinema Luso-Brasileiro da Feira. Realizou “Arca d’Água” (2009) premiado no Ovarvideo, Feira e seleccionado para o IndieLisboa09, Filminho 2009, Alcine 09 (Espanha), Kharkiv (Ucrânia). Em 2010 realizou “Casa”, exibido nos festivais da Feira e IndieLisboa10. Participa desde 1997 no Avanca e este ano foi seleccionado para o Berlinale Talent Campus.

3 - EXPLORAR A DIRECÇÃO ARTÍSTICA DOS FILMES DE ANIMAÇÃO
O desenho, a pintura e as artes decorativas serão a base da exploração prática da direcção de arte vocacionada para o cinema de animação.
Orientador: Natalia Mirzoyan (Rússia / Russia)

Distinguido no AVANCA’10, “My Childhood Mystery Tree”, foi finalista na Berlinale 2010 e em variadíssimos festivais, nomeadamente em Stuttgard 2010 (Alemanha) e “Fantoche 2010” (Suíça). Grande prémio animação no “Open Cinema Int. Film Festival”, foi ainda distinguido em Krok, Suzdal 2010, Multimatograf, Reanimania e Tehran Animafest.
Tendo estudado belas artes e filosofia na Universidade de Yerevan, na Arménia, e artes aplicadas em São Petersburgo na “Faculty of Easel Graphic”, Natalia iniciou a sua experiência profissional na animação em 2002, nos estúdios de televisão “Shoghakat”, e em 2003 na “Armenfilm” de Yerevan.
Em 2004, muda-se para São Petersburgo onde é realizadora e chefe de animação no “Petersburg Animation Studio”.
Tendo realizado vários episódios da extensa série de animação “Smeshariki” (ou “GoGoRiki” nos EUA e “Kikoriki” na Alemanha), como artista e designer, tem trabalhado na direcção de arte aplicada ao cinema de animação, explorando criativamente as artes decorativas aplicadas.
Natalia é uma jovem confirmação do novo cinema russo de animação.

Coordenador: Patrícia Figueiredo (Portugal)

Licenciada em Artes-Plásticas - Pintura pela FBAUP, estudou igualmente na Academia de Belas Artes de Cracóvia (Polónia), onde frequentou o Atelier de Cinema de Animação. Em 2008, completa e realiza na Polónia o filme de animação ‘Pozytywka’ (Caixa de Música), exibido no Festival OFAFA de Cracóvia e Prémio animação no Festival PORTO 7. Realiza “Foi o Fio”, um filme de animação com o apoio do ICA/MC e RTP.

4 - REALIZAR UMA CURTA-METRAGEM DE FICÇÃO
Do projecto às escolhas de autoria, a realização aplicada ao formato da ficção de curta-metragem. A prática a moldar as opções autorais, na rodagem e na montagem.
Orientador: Ciro Altabás (Espanha / Spain)

Realizador e argumentista, os trabalhos de Ciro Altabás ganharam mais de 200 prémios em festivais nacionais e internacionais. As suas curtas-metragens “Phobia” (2002), “DVD” (2005), “Made in Japan” (2007) e “Manual Práctico del Amigo Imaginario (abreviado)” (2008), assim como o documentário “Hobby” (2008), filmados em Madrid, Londres e Tóquio, foram premiados e seleccionados em Veneza, Varsóvia, Transilvania, Siena, São Paulo, Salerno, Ourense, Oakland, Naoussa, Mumbai, Montezuma, Mar del Plata, Málaga, Lund, Kuala Lumpur, Leiden, Karachi, Fajr, ÉCU (Paris), Cartagena, Clermont-Ferrand, Chipre, Bucareste, Bogotá, Auburn, etc.
“Phobia” estreou em Portugal e foi distinguido no AVANCA 2003. A revista Calle 20 classificou-o como mestre da curta-metragem.
Membro do Júri no AVANCA 2004, é professor de Realização Cinematográfica na Universidad Camilo José Cela em Madrid e de momento prepara a sua primeira longa-metragem “Ego”, com a produtora Pecado Films.

Coordenador: Luis Diogo(Portugal)

Argumentista e realizador, estudou cinema na ESAP e artes-plásticas na ESECB. Escreveu vários argumentos de longa-metragem, nomeadamente “A bomba” de Leonel Vieira e “Ice” em produção pela Fado Filmes. Autor do argumento “1111” de M.F.Costa e Silva e autor e realizador de “Desta água...”, “Noite Fria em Castelo Branco” e “Noite Gélida em Castelo Branco”.

5 - REALIZAR DOCUMENTÁRIOS NO CAMINHO DOS FILMES DE FICÇÃO
Trabalhar as relações do documentário e da ficção para realizar filmes. Procurar transpor para as longas-metragens de ficção os projectos e a planificação própria dos documentários. Explorar o documentário e a sua forma de planificação criativa.
Orientador: Mehdi Rahmani (Irão / Iran)

“Digari” foi distinguido com o “Prémio Estreia Mundial” no AVANCA ’10, iniciando assim a sua visibilidade internacional. Obra de ficção longa-metragem, este filme deixa perceber todo o trabalho anterior de Rahmani como documentarista.
Natural da cidade iraniana de Esfahan, onde nasceu em 1979, estudou realização cinematográfica na “I.R.I.B. University”, tendo-se graduado em 2005.
Com uma obra cinematográfica construída na área do documentário, Rahmani é membro da sociedade iraniana de realizadores de documentários (IRDFA), mas também da “European Documentary Filmmaker’s Society (EDN)”.
Para além dos seus documentários, como “The Boys of Autumn”, “The Bridge’s Ballads”, “The Moonlight Prayer”, “Smell of Tresses”, Rahmani é também autor de várias colecções fotográficas documentais.

Orientador Assistente: Esmaelion Behrang (Irão / Iran)
Coordenador: Luís Oliveira Santos (Portugal)

Licenciado em Arquitectura pela FAUP (Universidade do Porto) e Mestre em Criação Artística Contemporânea pelo DeCA (Universidade de Aveiro).
Fotógrafo, é autor de várias imagens publicadas, expõe desde 1998 e foi comissário da exposição colectiva de fotografia “Meu nome mar”, Museu Marítimo de Ílhavo, 2007. Tem frequentado os workshops do AVANCA e está a realizar um projecto fílmico documental.

6 - O CINEMA DE ANIMAÇÃO VAI À ESCOLA
Um espaço para explorar a tecnologia e a expressão da animação na sala de aula. Desde os brinquedos ópticos até à exploração de experiências animadas com potencialidades de utilização em contexto educativo. (1)
Orientador: Paulo Fernandes (Portugal)

É professor de Educação Visual e Tecnológica e Mestre em Ensino das Artes Visuais pela Universidade do Porto. Docente colaborador da Escola Superior de Educação do Porto. Membro da direcção da APEVT – Associação Nacional de Professores de Educação Visual e Tecnológica e da comissão organizadora do CINANIMA – Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho. É autor de artigos científicos na área da educação artística e co-autor de “A magia do cinema de animação” (Guia prático para professores sobre os princípios da animação de imagens). Membro fundador do ID_CAI, Colectivo de Acção e Investigação em Educação Artística.

Coordenador: José Rodrigues (Portugal)

Doutorando em Multimédia em Educação pela Universidade de Aveiro, sendo investigador do CIDTFF, desta Universidade. É Presidente do Conselho Nacional da APEVT – Associação Nacional de Professores de Educação Visual e Tecnológica. Membro da Comissão Organizadora do CINANIMA – Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho e Coordenador dos Workshops deste Festival. Desenvolve intensa actividade no ensino da animação pela APEVT nas escolas portuguesas.

(1) Acção de formação promovida em colaboração com o Centro de Formação da APEVT – Associação Nacional de Professores de Educação Visual e Tecnológica, acreditada pelo CCPFC – Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua, com 25 horas e atribuição de uma unidade de crédito para os professores dos grupos 240, 530 ou 600 que pretendam frequentá-la. Será dada prioridade a sócios da APEVT e a participantes que tenham anteriormente participado nos workshops do AVANCA.